terça-feira, 17 de agosto de 2010

Crônica da semana: RIR 2011


Por Leandro CDX Morais



Os caros leitores se recordam que semana passada escrevi sobre minha experiência no Rock In Rio III e minha expectativa quanto ao Rock In RIo IV previsto para 2011.

Pois bem... brochei! Ontem foi feita a apresentação oficial do evento no Rio de Janeiro, e eu não gostei nada do que vi.

Sonhava em poder mais uma vez ir a um grande festival de Rock, tal qual acontece no Wacken Open Air, Donnington Park, Sonisphere e High Voltage Festival, mas o que nos foi mostrado ontem foi lamentável.

Roberto Medina (dono do evento) tinha a faca e o queijo na mão... e cagou em cima do provolone depois jogou no ventilador.

Começou com a escolha infeliz da data. Qualquer aspirante a headbanger sabe que "a janela" de shows para a América Latina está aberta excencialmente no primeiro semestre do ano. E o cara vai e me marca o evente para final de setembro de 2011.

Nisso, acredito eu, ele já perdeu bandas como Maiden e Blind Guardian, que já estão em tour européia/norte-americana , e devem vir ao Brasil no início do ano.

Outra cagada foi reduzir o tamanho do festival. O cara poderia realizar o maior show de todos os tempos no Brasil... mas não quis. Enquanto o Rock In Rio de 2001 tinha uma capacidade de público de 250 mil pessoas por noite, propiciando o maior show de Metal que já se viu nesse Continente, na noite em que Maiden e Halford subiram ao palco, a edição do ano que vem vai ter público limitado a miseráveis 120 mil expectadores.

Pra finalizar, podemos dizer que o Rock In Rio está menos "Rock" e menos "Rio" do que nunca. "Rio" já deixou de ser faz tempo, quando o mercenarismo levou a realizar o evento em Portugal e na Espanha. Rock In Madrid tudo bem, mas Rock In Rio na Espanha não desce.

E o "Rock" também já foi evento de destaque só na primeira edição de 1985 quando recebemos o Queen. Ontem em sua coletiva, Medina fez questão de reforçar que o centro das atenções serão atrações pops (mais rentáveis) em detrimento dos veteranos do Rock e Metal.

A edição do ano vindouro terá desfiles de moda, tudo muito ROCK claro.... tomar no cu! E pra terminar o rebosteio o cara, que parece ter vocação política, ainda teve a cara de pau de dizer que vai realizar o evento a cada dois anos (assim como ele prometeu no Rock IN Rio III a 9 anos atrás). Até parece...

Suponhando que seja verdade, isso implicaria em shows em 2013, 2015 e 2017. E o Roberto Medina vai perder de realizar um evento em 2014, durante a Copa? Ou pior, não fazer nada em 2016? Justo quando teremos Olimpíadas no Rio? Eu duvido. Aposto meu bago esquerdo com quem quiser...

Se bobear, depois de 2011, vamos ter Rock In Rio só lá pra 2025! Ainda bem que a sigla do Rock In Rio é RIR. Tem que RIR pra não chorar.



CDX

Um comentário:

Erasmus Garp disse...

"excencialmente" é com SS