sábado, 10 de dezembro de 2011

Tio CD conta...

Tio CD conta.... o dia em que Jerry Lee Lewis quase saiu no soco com John Lennon:


Isso foi nos idos de 1970, quando os Beatles estavam no auge de sua fama (apesar de estarem próximos do fim). O lugar era Los Angeles. Lá existia um famoso clube Rock n Roll chamado Roxy. Lugar pequeno, para shows intimistas, mas frequentado por celebridades.

Naquela noite em especial quem estava no palco era o lendário Jerry Lee Lewis e seu piano flamejante. Para aquela apresentação foram convidados apenas os tops: produtores musicais, músicos de renome, presidentes de gravadoras. Nas guitarras estava Rory Gallagher, convidado e amigo do pianista.

Tudo ia muito bem, Jerry detonava no piano, quando um cliente inesperado apareceu: era John Lennon, que chegou, não falou com ninguém, e sentou-se ao balcão pedindo uma bebida qualquer.

Claro que ele não passou despercebido. As pessoas começaram a cochichar, e a cercar o Beatle, que protegido por seguranças, fazia de conta que nada acontecia, e continuava acompanhando a performance de Lewis.

O problema é que a coisa tomou tamanha proporção que, a um dado momento, ninguém mais estava assistindo o show, todos queriam ver, falar, pedir autógrafo para Lennon.

E percebendo o tumulto ao redor do inglês, Jerry Lee Lewis ficou puto! O cara não era conhecido por sua paciência e calma. Ficou mais nervoso que o Jeremias tomando leite com Nescau.

Com a cara vermelha de tanta raiva, o pianista roqueiro pegou o microfone e começou a disparar um monte de ofensas contra os Beatles, olhando para o balcão onde estava Lennon.

_ A música que eles faziam era uma merda! ---gritava Lewis.

O povão já viu que ia começar a baixaria e não arredou pé do lugar, apesar de já parecer claro que o show tinha acabado por ali...

Lennon levou a situação na brincadeira. Era grande fã de Jerry, e não queria causar confusão, apesar de sua simples presença ter tumultuado o lugar.

Entrando na brincadeira ele subiu no balcão e gritou de volta para Lewis:

_ É mesmo! Os Beatles eram uma bosta cara! --- e o povo em volta caiu na risada.

O problema é que do palco Jerry Lewis não ouviu o que John disse. Ele apenas VIU o corno do inglês ficando em pé, subindo no balcão, apontando para ele e falanda alguma baboseira e depois caindo na risada junto com o pessoal que o cercava: para o americano estava claro que Lennon tinha dito SEU VIADO DA PORRA! VAI TOMAR NO CÚ TRANQUILO!

Aí o povão viu que a parada ia esquentar... Jerry ficou enfurecido, quebrou o piano e teve que ser contido pelos roadies e membros da banda que o levaram para o camarim.

E depois de toda a confusão, Rory Gallagher resolveu ir ao camarim ver como estava o amigo. O irmão de Rory que estava com ele quis impedí-lo:

_ Tá loco véio! Ele está mais puto que o Hulk quando leva um chute nos bagos! Deve estar quebrando tudo lá no camarim! É uma péssima idéia entrar lá!

Mas Gallagher insistiu, e por precaução não foi sozinho: entraram ele, o irmão e mais o segurança dele. Quando abriram a porta encontraram Jerry Lee Lewis sozinho, sentado, e de cabeça baixa. O cara ainda bufafa como um touro bravo de tanta raiva!

Todos se entreolharam: estava todo mundo cagando de medo. Isso porque Lewis tinha o péssimo hábito de andar armado. Ninguém sabia se ele estava com a arma naquele momento ou não.

Gallagher com o cú piscando, sentou-se silenciosamente ao lado do músico, traçou mentalmente o que dizer (do tipo "calma meu" ou "nem esquenta") e quando foi abrir a boca para consolar o amigo, algo surpreendente aconteceu.A porta do camarim se abriu e lá estava John Lennon!

Eu pagaria uma nota para ver a cara de Rory Gallagher e Jerry Lewis nesse exato instante. Rory deve ter feito uma cara do tipo "agora um vai morrer" com os olhos arregalados. E o Lewis deve ter feito uma cara do tipo "agora vou matar esse inglês desaforento" com sangue no zóio!

Seguiu-se um silêncio infernal. Ninguém se mexeu nem falou nada. John Lennon deve ter pensado que era certo pedir desculpas, mas deve ter se arrependido ao ver a tensão que estava no camarim.

E então, dos 5 presentes na sala, quem resolveu falar e fuder de vez com tudo foi o segurança de Rory, que se atirou de joelhos aos pés do Beatle e começou a chorar igual uma criança, beijando a mão de Lennon:

_ Por muitos anos eu esperei para conseguir um autógrafo do Rei do Rock n Roll --- disse o brutamontes.

AGORA NÓIS TUDO VAI MORRÊ ! MERDERÔ DE VEZ A PORRA TODA.... devem ter pensado os demais. Dava para ver a veia saltando no pescoço vermelho de Jerry Lee Lewis. O homem já estava soltando faísca pelos olhos.

Percebendo que ia dar merda, e que nem a Yoko Ono poderia salvá-lo nesse momento, Lennon autografou um papel para o segurança, e na sequência tirou um pedaço do mesmo papel e para a surpresa geral, repetiu o gesto do segurança: ajoelhou-se aos pés de Lewis, beijou a sua mão e repetiu a mesma frase que ouvira:

_ Por muitos anos eu esperei para conseguir um autógrafo do Rei do Rock n Roll. -- disse sorrindo. Nesse momento o pianista já tinha se derretido todo...

_ Eu quero dizer que foi você que tornou possível eu ser uma estrela do Rock. -- completou Lennon. O ódio de Lewis quase se transformou em lágrimas.

E ficaram conversando como se nada tivesse acontecido.



CDX

2 comentários:

Erasmus Garp disse...

Legal essa história.. mais uma que eu não sabia.. CD é cultura.

CDX, ainda omisso disse...

Só...valeu Garp! Eu manjo várias historinhas do Rock, aos poucos vou contando elas.