sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Discos raros (e caros!) - parte 1




Eu como bom colecionador de discos não deixo de ter aqui em casa os meus xodós. Na minha coleção, destaco um Paranoid de 1970, o disco mais antigo que tenho, originalzinho americano da época que a Warner Bros ainda mexia com discos de vinil! . Se parar para pensar que é um bolachão de 41 anos que funciona certinho, é impressionante.

Outros que tenho apego especial são os discos de bandas nacionais. Tenho os discos do S.P. Metal volume I e II. Trata-se de raridades lançados em 1984 e 1985 pela Baratos e Afins, compilando duas músicas de várias bandas de hard e heavy de destaque na cena underground paulista, em um tempo em que nenhuma banda no país havia conseguido lançar um LP ainda. É a primeira compilação de metal do Brasil! No ano seguinte finalmente o Harppia conseguiria esse feito, lançando o A Ferro e Fogo (também pelo selo Baratos e Afins que tem sua loja até hoje na galeria do Rock!), primeiro disco de heavy metal nacional. Felizmente também tenho a minha cópia dessa pérola da história musical.



Mas os meus olhos brilham mesmo quando se fala de Iron Maiden. Não é segredo para ninguém. Minha meta vinilzística é completar minha coleção de discos de estúdio do Maiden. O que me falta são 5 bolachões da Donzela e mais 2 especiais, mas este é assunto para outro post.

O assunto desse post é as raridades do mundo dos vinis, que estão se tornando cada vez mais valorizados, justamente pela procura dos aficcionados por música, que encontram no disco uma experência única. Para não me estender muito nesse post, vou falar aqui dos 2 mais raros e caros discos da história. Em posts futuros vou falar da maior raridade brasileira, de outros discos-relíquias (quase sempre devido a atitudes das gravadoras que criaram raridades sem querer), e dos LPs que tenho e pretendo ter (Maiden!).


Disco mais raro:


Na minha opinião e de muitos especialistas o mais raro exemplar de vinil do mundo é o primeiro disco de uma bandinha chamada Quarrymen. Nunca ouviu falar? Pois é... nem eu tinha ouvido. Essa banda inglesa nunca fez sucesso e durou pouco. Mas o que torna o disco uma preciosidade é que, entre os membros da tal banda, estão John Lennon, Paul McCartney e George Harrison. Isso mesmo! O Quarrymen era um embrião do que viria a ser os Beatles, a maior banda de todos os tempos.

Esse primeiro disco do Quarrymen (na realidade um EP) trazia apenas duas faixas, sendo que uma delas nem sequer era uma composição deles. As faixas eram That´ll Be The Day (cover de Buddy Holly) e In Spite of All the Danger (escrita por Harrison e McCartney).



Você pode pensar que tudo bem... a coisa é rara mesmo, é a primeira gravação dos caras que seriam os Beatles. Mas e daí... qualquer um da época poderia ter um disco desses. Não é bem assim. Que se tem notícia, foram feitas apenas duas cópias desse EP em uma gravadora na quiçuba, meio fundo de quintal.

Duas cópias meu nego! Foi gravado em 1958 e nunca mais foram vistas. Até que, em 1981 uma delas voltou a aparecer. Arrumando a sua casa, entre coisas antigas do tempo que fechavam guaraná com rolha, John Duff Lowe achou a única cópia restante dessa relíquia. Lowe tocou com os meninos de Liverpool na época, sendo o pianista do Quarrymen.

Em uma visita à Paul McCartney, contou-lhe sobre o achado, e eis que o ex-Beatle acabou se interessando e comprou o único exemplar de That´ll Be The Way para sua coleção particular. Quanto ele pagou? Bem, essa informação não foi divulgada. Foi uma transação entre amigos. Mas é certo que ele pagou bem menos do que vale hoje.

Na década de 90, Paul remasterizou as duas faixas e mandou fazer cinquenta cópias idênticas do disco, com as quais presenteou amigos, parentes e produtores. Não demorou muito tempo para algumas dessas cópias serem colocadas a venda. A última delas que foi vendida foi arrematada no Ebay em 2004 por US$ 20 mil doletas!

Quanto ao original, único e bem guardado, é difícil de ser avaliado, pois nunca foi colocado a venda, e só pelo fato de pertencer a coleção particular de Paul, com certeza tem seu valor multiplicado. Avaliadores dizem que vale cerca de 200 mil dólares (em torno de 320 mil reais), mas há quem diga que se um dia McCartney colocar o EP a venda, ele baterá o preço recorde do disco mais caro já vendido que segue abaixo.

Disco mais caro:

O mais caro disco da história tem, coincidentemente, ligação com o mundo dos Beatles. Porém um triste elo de ligação. Estamos falando do disco Double Fantasy de John Lennon, que foi lançado em 1980, praticamente um mês antes de seu assassinato.

O disco em si, ao contrário do That´ll Be The Day, foi vendido comercialmente, mas o que o torna uma raridade é o autógrafo de Lennon na capa a as circunstâncias em que o vinil foi autografado.





No dia 8 de dezembro de 1980 John Lennon saiu do edifício Dakota, em Nova York, onde morava. Na portaria um fã chamado Mark Chapman o aguardava com o famoso disco na mão. Cumprimentou Lennon e pediu um autógrafo, sendo prontamente atendido. Alguém inclusive bateu essa foto do momento exato do encontro:



O triste é que aquele foi o último autógrafo do ex-Beatle. Quando retornou ao edifício, cerca de 5 horas depois, Lennon se surpreendeu com o fã que ainda estava na portaria. Porém dessa vez o encontro foi menos cordial: Chapman sacou uma arma, disparou 5 vezes e matou o músico.

O disco foi abandonado na cena do crime, passou pelas mãos da polícia como evidência, e hoje é a peça de colecionador mais cara que se tem notícia. A última vez que foi colocada a venda atingiu o valor de US$ 525 mil (cerca de 840 mil reais).


CDX


2 comentários:

DOMENIUM disse...

Muito massa o artigo CDX! Não sabia de muita coisa! Estou no aguardo da parte 2!

Renato Tobias disse...

Acho que o primeiro disco de heavy foi o da Banda Stress e que a possívelmente também foi a primeira banda de heavy metal do Brasil, surgiu em 1974, no Pará. O Stress foi formado por roqueiros de Belém, numa época em que bandas como Casa das Máquinas e O Terço eram o que havia de mais pesado no Brasil. Fizeram seu primeiro show em 1977, e foram deixando seu som mais pesado e próximo do que seria o New Wave of British Heavy Metal. Em 1982, gravaram o primeiro disco solo de uma banda de heavy brasileira.