segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Fábulas fabulosas para uma juventude non-sense:



O passarinho:


Adaptação livre por Leandro CDX Morais


Era uma vez um passarinho recém-nascido, que morava com sua mãezinha no alto de uma árvore no bosque encantado.

Sempre que sua mãezinha saía para buscar comida, advertia o pequenino:

_Olha filhinho, mamãe vai buscar comidinha. Fique bem quietinho aqui. Não tente voar porque você pode cair lá embaixo e se machucar. Você ainda não tem idade para voar por aí.

Mas é claro que o moleque era atentado! Olhava suas asinhas e pensava quando poderia usá-las. Como tinha muitas peninhas já crescidas nas asinhas, achou que podia dar uma voadinha.

Esperou a mãezinha voar em buscar de comida e resolveu dar uma espiadinha fora do ninho. Bateu as asinhas, ensaiou uma voadinha... e deu uma esborrachadinha no chão! Caiu de cara o putardo (puto + retardado)!

Quando se levantou reparou que tinha quebrado uma das suas asinhas. Pobrezinho! Estava fudidinho! Saiu correndo pelo chão, arrastando uma asinha e pedindo por uma ajudinha.

Foi então que encontrou uma vaquinha e pediu ajuda:

_Ó dona vaquinha! Conserte minha asinha que quebrei dando uma voadinha!

Dona vaca com sua simpatia que era marca registrada respondeu-lhe carinhosamente:

_ Vai se fuder seu pinto escroto! Vou ajudar é o caralho! Caiu do ninho porque quis! Sua mãe nunca lhe falou para não tentar voar sozinho?!

E o passarinho seguiu buscando ajudinha. Foi quando encontrou um Cavalo:

_Olá amigo cavalinho! Poderia me dar uma ajudinha? Eu...

E o Cavalo, coiceando como era de sua índole, respondeu:

_ Ahhhhh... olha bem pra mim? Acha que eu vou te ajudar com sua asa? Vá cagá! Eu tenho cara de veterinário? - e saiu irritado.

O passarinho estrupiadinho, já estava perdendo as esperanças quando encontrou um gatinho, e mais uma vez resolveu pedir uma ajudinha:

_Oi gatinho fofinho! Pode me dar uma ajudinha com minha asinha?

E o gatinho já com segundas intenções, pensando naquelas tulipinhas, naquelas coxinhas, respondeu, já lambendo a beiça:

_Claro que te ajudo amiguinho, venha aqui mais pertinho para que eu possa ver sua asinha.

Notando que o gatinho estava començando a salivar tanto que a baba escorria pelos seus bigodes, o passarinho percebeu que algo estava errado.

_Você está bem gatinho? Parece que está passando malzinho. Ou você tem raivinha? Está babando e...

O gatinho nem respondeu. Abaixou suas patinhas dianteiras e a sua cabecinha, empinou sua bundinha, abanou o rabinho e tentou dar um bote no passarinho.

Ao perceber que ia virar comidinha, o passarinho saiu no carreirão, correndo como uma minhoquinha no galinheiro.

O gatinho perseguiu o passarinho até a árvore da qual ele caiu."Agora ele não tem para onde escapar" pensou o gatinho.

No desespero de salvar suas tulipinhas, o passarinho esqueceu da dorzinha que sentia, e no susto bateu suas asinhas do jeito que deu e conseguiu subir de volta até o ninho. Afinal, quem tem cuzinho tem medinho! o Gatinho ficou putinho, porque perdeu sua comidinha.

Passado o desespero, e a adrenalina do momento, o passarinho sentiu ainda mais a dorzinha na sua asinha. O esforço para voar tinha acabado de fuder a asa toda!

Chorando de dor esperou sua mãezinha retornar. Quando a mãezinha voltou ao ninho, e viu o filhotinho com a asinha virada do avesso, perguntou o que aconteceu.

O filhinho contou a triste historinha para a mamãe. E ela meigamente lhe disse:

_Vem cá meu filhinho, deixa a mamãezinha cuidar da sua asinha. Vou cuidar dela... no cacete! - e foi porrada pra toda lado! A mãe enlouquecida pela desobediência do filho desceu a mão (ou a asa) no moleque!

No mundo animal não tinha essas paradas de não poder bater na criançada. Então o cascudo rolou solto! Até a mãe quebrar a outra asinha do passarinho na pancada.

Assim, o passarinho aprendeu a nunca mais desobeceder sua mãe.


CDX


Um comentário:

Domenium disse...

Por isso que eu digo! Mais vale um murro bem dado do que um filho viado!....hauhauhau