terça-feira, 11 de novembro de 2008

Personalidade da Semana: Hassanz Palim



Eis aqui uma personalidade de qualidade, depois de muito tempo sem postar uma personalidade: o maior turco desse hemisfério, Hassanz Palim.

Quando o conheci, em 1976, era apenas um molecote vivendo de pequenos furtos nas ruas de Istambul.... mas o tempo passou, e nos tornamos grandes amigos (ele maior que eu, sempre) Porém seguimos caminhos diferentes.

Eu fui para a Colômbia, onde abri um bordéu, que não dava lá muito lucro.... Passei a refinar coca nas horas vagas para complementar minha renda. Soube, nos tempos de Escobar, que Hassanz vivia então em algum lugar do Brasil, onde passou a trabalhar em uma recém aberta loja Habbib´s...

Quando o cartel de Medellin foi pro saco, resolvi me mandar para o Brasil também. Os viajantes contavam mil maravilhas daquele país: lá o carnaval era o ano inteiro, os butecos tinham salsichinha, as mulheres eram gostosas, e também falavam de uma tal bebida divina chamada tubaína.... Não pensei duas vezes.

Claro que tive que recorrer a uma nova identidade, devido ao meu passado colombiano. E incrivelmente, o velho Hassanz também teve que usar desse subterfúgio, pois acabou por matar o velho Habbib, depois de uma discussão por dívida de uma esfirra de R$ 0,79.

Contavam de uma cidade no interior do Paraná onde todos podiam levar uma vida tranquila, independente do seu passado.... chamavam-na Maringá! Lá você poderia ser flanelinha e ninguém lhe incomodaria! E foi la´, nessa tal cidade, que reencontrei Hassanz.

Sua nova identidade era agora de um estudante universitário da Universidade Estadual local. Ele assumiu a alcunha de Renato Gonçalves. Para dar mais credibilidade a nossas identidades, conseguimos inclusive trabalho em uma biblioteca da cidade, onde costumávamos nos perder em devaneios de fama e fortuna....

Aqueles sim foram tempos dificeis. Além de termos que nos esforçar para aprender o idioma português (ele por ser turco, certamente teve mais dificuldade que eu) ainda tínhamos que nos passar por estudantes normais, bebendo nos bares da cidade e vadiando por lugares inóspitos ...

Mas o tempo é senhor da razão.... e o tempo cura tudo amigos! Tanto que hoje, anos mais tarde, Hassanz pôde voltar a utilizar seu nome e origem, pois seu crime prescreveu, e atualmente ele tem uma banda junto de seus outros irmãos: A Sexta Geração da Família Palim Do Norte da Turquia! E hoje ele não teme mais a lei dos homens, somente respondendo a Aláh!


Essa foto foi do dia da prescrição do seu crime... comemoramos a "brecha" na lei com bebidas de teor alcoolico duvidoso e prostitutas com orelhas maiores que suas "brechas"....

Quanto a mim, fico muito feliz de ter a intimidade para chamá-lo de imbecil em público e não levar um soco por isso!


Valeu Renatão


LInk no Orkut > Família Palim

CDX

Um comentário:

Renato disse...

hehehehe... muito bom o texto! Como sempre, aliás...

Abração, meu caro!


PS.: Devo-lhe uma visita de alto teor alcoólico para conhecer melhor seu cafofo.